sexta-feira, 11 de novembro de 2016

ao som do silencio

ia escrever ao som do silencio,
mas...o silencio não tem som,
tem palavra caladas...
tem o apelo da alma
tem o toque do pensamento
a inquietude e a calma
tem as palavras lavradas!
no coração as mágoas expostas...
mas no verso não tem nada....
tem a mão e o sorriso do anjo!
tem o caminheiro e a estrada...
tem os sonhos da noite
tente a ti, tem me a mim....
e já somos demais
nesta caminhada!