terça-feira, 6 de agosto de 2013

Foi apenas uma pena


fui apenas uma pena
que esvoacei e sorri,
escorreguei suavemente
meigamente sobre ti!
fechei a janela bati a porta
tranquei a alma e fugi!
bagueei e senti o coração parar...
saber que alguém
fez parte de mim...
e secou o meu mar!
como podemos nós humanos
ser tão insensíveis...
somos mestres do disfarce
e da imperfeição,
também da verdade
e do sentimento....
tirar alguém de uma vida,
«matar.» com sofrimento.
tanto riso, tanto amor, tanto querer,
já não lamento....
foi a dor que secou esse amor!
foi o tempo perdido...
foi a espera longínqua....
foi apenas, uma pena!