sexta-feira, 4 de outubro de 2013

em teus braços preciso descansar

já é tarde
e o sono não vem
esconde-se na noite
e foge de mim também
que alguém me diga
onde o posso procurar
procurei-o na noite
não o consegui encontrar
escondeu-se num arbusto
fugiu do luar
despertou da mentira
entrou na vida
ficou apavorado
e não se quis deitar
desde menina que o tento apanhar.
ó sono vadio vem até mim
eu ensino-te a sonhar!
e sou verdadeira
e tenho audácia
valente guerreira
 deixa-me adormecer nos teus braços.
e descansa eternamente comigo.