sábado, 19 de outubro de 2013

que os dias tenham sempre um pouco de cor.

hoje rasgaram-se os céus
perdi-me na escuridão
e com mil esforços encontrei o azul
não foi fácil lá chegar
quando a alma sangra e se sente afogar
é tão real a nossa existência,
como a nossa partida.
partilhamos dias do passado
e não conseguimos rir do presente
está tão presente e tão desgastado
tão triste e tão cansado
que até as próprias palavras
saem com dor
sinto dor, de me sentir impotente
pouco humana e pouco gente
sinto em mim o terminar de um beijo
o rejeitar da esperança a falta
das frases da canção
que entoou em cânticos no meu coração
que hinos de fé venham até mim
preciso entender e ajudar
meu Deus, eu que não sei julgar...
e guardarei para sempre a minha fé!!!