domingo, 10 de novembro de 2013

o encanto do rio e a casa do moleiro.

quem quer nadar no rio
sorrir e tremer de frio
e ao aquecer........
 aplaudir o brilho do sol?
e bem perto está uma casa
velha e vazia......
por entre arbustos e água que brilha!
são restos de encantos contidos
 o encanto que tinha a casa do moleiro!!!
era a água que caía...
e a mó do moinho a desfazer o milho!
era a faina da farinha
era criança e ainda me lembro
do encanto que tinha
a casa branca da sala até á cozinha.
era da água do rio, da força que continha.
e da força do moleiro
e do burro que carregava os sacos da farinha
era um enlace sem fim
carrocel encantado
que o meu coração alcança
são sorrisos de criança
que veem até mim
é a cor da esperança
a cor do céu para sempre
quem te ama mais que eu?
o meu soberano, penso eu.