quinta-feira, 21 de novembro de 2013

«sempre que possas planta um jardim»

para além da loucura saudável
existe a loucura dos que se julgam
 mais lúcidos que ninguém,
puros.
todos sabemos que a perfeição
não existe......
estiveste invernando, ausente
e sem tempo
não te expuseste, não inovaste
e lamento!!!
só ficaste em agua morna
fugiste da fria e nem tentas-te a quente.
escaldas-te almas, que sentem!
e gela meu coração
por não possuir varinha de condão
para derreter o gelo
desse teu duro coração
que em pedra se transformou
nem mesmo a martelão
se abriu nenhuma entranha
dessa estranha criação.
não bloqueei  meu olhar
não modificou meu sorrir
pois sou filha de uma Rosa
que me deu cores sem fim
até pintei o arco iris
e estrelas, dentro de mim.
e vivo sempre que posso
plantando um jardim.