sábado, 27 de junho de 2015

nos teus braços

desenho na areia,
descendo de um areal,
como quem beija uma flor,
traços que desminto...
como quem escreve amor!
talvez te escandalize
minha forma de tracejar...
nos teus braços suavemente!
esculpo na areia, porque...
é fácil de apagar.
sobe a maré,
como quem abraça o que é seu,
descendo meigamente
arrasando dois corpos,
enrolando amor!
luta de duas mãos,sonhos
de um prefeito escultor...
natureza terra amada
descendente da nascente...
fonte de luz... ternura.
onde o que nos faz mal
também nos cura!!!