sábado, 21 de setembro de 2013

agarra as recordações




da tua sombra vadia
no teu olhar imortal,
na tua fantasia
desse teu jeito fatal!
encontramos encantos
e por fim, solidão...
não são gestos morais
que te fitam o coração,
são apenas desejos banais
que te infringiram mortais
na lenda da lei da vida,
já a fogueira surgia
onde teu sangue...
vertiginosamente fervia!
 não na lei dos homens
mas de uma lei vadia
descendes de pouco amor,
da lamparina que incendeia
do fogo que sai da lareira
do fumo que se perde na noite.