domingo, 8 de dezembro de 2013

és meu alento imperfeito.

 
sem ti!
sinto-me uma louca desvairada
sem rumo e sem estrada
uma flor maltratada.

pétala levada pela vento
sem casulo nem sustento
esvoaço num satélite sem fim
já não sou astro brilhante.

já não brilha  luz em mim
já não estou perto do sol
suspiro angustia sem fim.

é a ti que ostento
cá dentro do meu peito
és  meu alento imperfeito!!!