sábado, 7 de dezembro de 2013

sinto a chuva e o teu esplendor.

aqui também é meu refugio,
aonde os campos florescem
e as nuvens formam diluvio.
aqui floresço eu!
perdida, por tormentos invadida....
virás em meu auxilio?
eu caiada de cores
coberta de flores,
de traje florido!
como tu, as chuvas,
me atordoam o pensamento.
presenteias-me com pecados escondidos,
haverá forma de não veres
as minhas imperfeições?
 aqui aonde estou....
como é espantoso sentir a tempestade
 e não omitir nenhuma confissão!
 sento a chuva e o seu esplendor,
o teu desejo e amor.
 aqui acalento a alma...
sinto a força de um doce olhar
e tu ó que te submetes-te...
de tão longe vieste para me abraçar!
sorrindo,,,dançamos à chuva...