domingo, 5 de janeiro de 2014

estou apenas no presente

todos pedimos paz...
a paz que impere
o amor que reine!
mas simetricamente
 medimos as palavras.
meu amor... fantasticamente
te renuncia.
perdidamente te anuncia,
autenticamente te sente!
na mesa vaga e vazia
só a música jazia,
e a fruta na armação antiga.
meus braços na mesa inclinados!
só o frio me cobria.
eu sigo em contra-mão
estou apenas no presente....
sou dona de um coração
que ama os frutos do seu ventre...
que anuncia o verão...