sábado, 7 de fevereiro de 2015

o futuro é só amanhã

ergui meu manto
e nele me cobri, eram pétalas,
eram sonhos, eram rosas...
eram espinhos sem fim...
clamo por quem tem lucidez!
que me digam de uma vez..
aonde se esconde a verdade...
mentira sem rosto..
quem te invade de dia de noite, a vida?
o passado vai longe....longe de mim!
o futuro não me alcança...
é só amanhã!
o presente está constantemente,
 dentro de mim!
fico, paro ou corro?
neste manto que me enrola,não me encontro.
não me encanta!
minhas mãos de mil afazeres..
meu cérebro culmina...
aponta a tua teia..
manhosa e traiçoeira..tragam vinho doce...
docemente o vento passa.
não sou devassa...
sou apenas uma pena, que esvoaça e sorri!